Terceirização no Brasil? – Esta estratégia é morta pelo risco da taxa de câmbio?

câmbio

Em 2004, a Vision TRE começou a fornecer serviços de desenvolvimento de software nearshore para clientes dos EUA fora do Brasil. Naquela época, a taxa de câmbio era de 3,08 reais para o dólar, de acordo com os registros históricos da Reserva Federal dos EUA. Neste primeiro dia de outubro de 2010, a taxa de câmbio é de 1,68 reais para o dólar. As taxas de faturamento muito competitivas de 2004 foram devastadas por um aumento de custo de 83% em apenas seis anos, sem nenhum valor agregado em nenhuma das duas margens! Em termos reais, R $ 50,00 por hora pagos por um desenvolvedor em junho de 2004 custam 16,23 dólares. Hoje esse mesmo desenvolvedor faturando a R $ 50,00 por hora custa R $ 29,76. A oportunidade do Brasil de se transformar em um importante centro de terceirização de TI de nearshore competitivo está sendo seriamente desafiada pelas taxas de câmbio. O dólar é fraco em todos os lugares, no entanto, o gigante da terceirização, a Índia, tem sua Rúpia negociando quase no mesmo nível em que foi negociado em 2004/2005. A taxa de câmbio do real brasileiro não está próxima do nível de 2004/2005. Se fosse o Brasil, poderia ter uma grande vantagem de taxa de juros competitiva como um destino de nearshore outsourcing Rateio Brasil.

Historial da taxa de câmbio Dólar norte-americano para o Brasil:

Data Reals / US $ RUPEES / US $

06/01/2004 3,08 45,43
01/06/2005 2,53 43,71
06/01/2006 2,27 46,19
01/06/2007 1,90 40,27
06/01/2008 1,63 42,38
06/01/2009 1,95 46,78
06/01/2010 1,82 47,08
10/01/2010 1,68 44,46

No mundo da terceirização de TI, o Brasil é visto por muitos analistas como um ator em ascensão. As razões são muitas. As empresas dos EUA estão procurando um local com uma grande força de trabalho qualificada em um local amigável com fuso horário. Eles estão procurando semelhanças culturais e inglês falado sem dificuldade em entender os sotaques estrangeiros. A comunicação sempre foi fundamental na terceirização e a colaboração de profissionais altamente qualificados e distribuídos globalmente é agora vista como uma vantagem competitiva, trazendo maior qualidade, criatividade e inovação. A Vision TRE tem terceirizado no Sul do Brasil desde 2004. Eu sei por experiência que o Brasil oferece tudo isso e muito mais. Encontramos uma força de trabalho com habilidades de TI de classe mundial, uma boa ética de trabalho e taxas domésticas competitivas que estão sendo afetadas negativamente pelas taxas de câmbio.

A indústria brasileira de TI é a 8ª maior do mundo e, portanto, possui uma grande oferta de profissionais de TI qualificados. Não consegui assim vendendo produtos ou serviços no exterior, como a Índia e a Europa Oriental. O Brasil tem um enorme apetite doméstico por automação nos setores público e privado. O setor bancário brasileiro financiou o desenvolvimento da indústria brasileira de TI durante um período de alta inflação e desvalorização da moeda brasileira, o Real. Naquela época, o Brasil tinha uma política protecionista em relação a empresas de TI externas que vendiam produtos e serviços no Brasil. Seu governo enfatizou o uso da solução Open Source, exigindo-a em projetos governamentais de TI que criaram uma grande comunidade de Java, Open Source e outros tipos de desenvolvedores.

Nos últimos anos, o inglês vem ganhando mais popularidade no Brasil. Os pais das famílias da classe trabalhadora acreditam que as habilidades em inglês aumentarão a capacidade de ganho de seus filhos, não apenas trabalhando em hospitalidade, mas também em profissões de negócios e tecnologia. O inglês falado por alguém nativo do Brasil é geralmente muito mais claro do que alguém nativo da Índia ou da China.

Com todas essas vantagens, o Brasil certamente é o próximo grande concorrente em terceirização nearshore, certo? Não tão rápido. A Capgemini acaba de adquirir a empresa brasileira CPM Braxis para entrar no mercado brasileiro que atualmente é dominado pela IBM, Accenture, Hewlett Packard e Unisys. Mas isso não foi feito para o potencial de marketing offshore. Isso foi feito por causa do enorme potencial do mercado interno de TI no Brasil. Este é um mercado emergente com uma taxa de crescimento muito alta e uma moeda forte. As empresas que procuram recursos de terceirização no Brasil devem competir com as demandas do setor privado e público brasileiro por esses mesmos recursos. Isto não é como a Costa Rica ou a Índia, que são exemplos de países com indústrias de TI em crescimento baseadas quase inteiramente na demanda offshore.

Eu mencionei que o Brasil tem uma moeda forte e flutuante? A estabilidade da taxa de câmbio é fundamental para qualquer tipo de comércio global, incluindo terceirização de TI. Um contrato assinado com uma empresa brasileira para prestação de serviços em julho de 2010 mudou de valor, com a taxa de câmbio entre o dólar americano e o real brasileiro caindo de 1,80 para 1,68 reais para o dólar, cerca de 6% em apenas dois meses. O real variou entre 1,9 e 1,7 reais para o dólar a maior parte deste ano. Isso significa que um recurso brasileiro faturado a 50 reais por hora varia entre US $ 26,32 e US $ 29,29 por hora, respectivamente, durante o ano. Se o contrato estava em reais, o custo do comprador aumenta e o ROI esperado é reduzido. Se o contrato foi em dólares, então o vendedor brasileiro está recebendo menos reais e sua margem de lucro é reduzida, mas o custo de

No comments yet

leave a comment

*

*

*